terça-feira, 22 de abril de 2014

10 blogs que todo administrador precisa conhecer

Confira as dicas que a equipe Portal Administradores organizou para você!

Muitas vezes, um pequeno texto de 10 linhas tem um
poder transformador maior do que uma disciplina inteira
Inspiração. Essa foi a palavra-chave que elegemos quando decidimos elaborar aqui uma lista com indicações de blogs que achamos que vale a pena você, administrador, acompanhar. Os bancos da universidade ensinam muito e são fundamentais para a formação de grandes profissionais. Mas, muitas vezes, um pequeno texto de 10 linhas tem um poder transformador maior do que uma disciplina inteira.

Confira abaixo as indicações da equipe Portal Administradores:


Geração de Valor

Parte de um projeto maior homônimo idealizado pelo empresário Flávio Augusto da Silva, o blog Geração de Valor (carinhosamente chamado por seus leitores de GV) reúne insights e textos inspiracionais escritos por Flávio com o objetivo de motivar jovens empreendedores. Um escritor tão ávido quanto empreendedor, ele publica praticamente todos os dias e tem uma legião de seguidores. Para se ter uma ideia, só no Facebook, são mais de 2 milhões.



Richard Branson

O blog do fundador da Virgin também reúne textos inspiracionais escritos por ele, além de divulgar as novas iniciativas desse empreendedor compulsivo. Branson é uma das figuras mais admiradas do mundo dos negócios e acompanhar o que ele escreve é uma ótima maneira de buscar inspiração.



ZenHabits

Outro blog interessantíssimo é o do americano Leo Babauta, o ZenHabits. Eleito como o blogueiro mais influente dos EUA, Leo não fala diretamente sobre negócios ou métodos científicos de gestão. Mas suas experiências bem sucedidas em questões como organização do tempo, planejamento de carreira, motivação e combate ao estresse o creditam como autoridade nesses assuntos, que são estratégicos para empreendedores.




FÊliz com a Vida

Escrito pela publicitária brasileira Fernanda Nêute, o blog é mais um da lista que não fala diretamente sobre negócios. Mas, com sua linguagem direta e com base em experiências reais vividas pela autora, o blog é uma fonte riquíssima de inspiração para quem está naquela fase entre deixar um emprego e construir um negócio. Se você precisa de um empurrãozinho para criar coragem de fazer o que sempre quis, com certeza vai encontrar lá.



Marcelo Toledo

Uma das principais referências do Brasil quando o assunto são startups, Marcelo escreve sobre questões técnicas que todo empreendedor iniciante precisa conhecer, principalmente os que empreendem na área de tecnologia.



Dan Waldschimidt

Depois de reunir conhecimentos sobre negócios ao longo de cerca de 20 anos como executivo de grandes empresas americanas, Dan resolveu compartilhar isso em seus livros, palestras e no blog. Suas dicas podem ajudar bastante na hora de tomar uma decisão importante em seu negócio.




Blog do Buffer

O Buffer é uma espécie de agregador de redes sociais, que permite que os usuários utilizem todas as suas contas em apenas uma plataforma. Mas o blog não tem (necessariamente) nada a ver com isso. Lá, os executivos e outros membros publicam textos sobre diversos assuntos relacionados ao mundo dos negócios, de dicas de motivação a análises complexas de organizações, eles escrevem de tudo um pouco. Vale acompanhar.


No Administradores.com você pode ler textos de dois autores do blog: Leonhard Widrich e Belle Cooper.


Jovem Administrador

Escrito pelo jovem administrador Diego Andreasi, o blog está aqui nesta lista por um motivo chave: o autor é um dos leitores de obras de Administração e Negócios mais ávidos que já conhecemos. Todas as semanas tem uma análise nova de algum livro por lá. Vale a pena acompanhar:



Blog do Hiller

Escrito pelo professor Marcos Hiller, o blog reúne diversos textos sobre Marketing e, em especial, sobre branding, área foco das pesquisas do autor, que costuma discutir o assunto à luz de acontecimentos do dia a dia de uma maneira bastante perspicaz.



Blog da Administração

Para encerrar com chave de ouro, listamos aqui o blog do administrador Wagner Siqueira, atual presidente do Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro (CRA/RJ). Com textos mais densos, ele mergulha fundo nos assuntos bem específicos da profissão e é uma leitura fundamental para você, administrador, refletir sobre sua profissão.



Fonte: Portal Administradores
22/04/2014

Os jovens e a conquista do espaço no mercado de trabalho

Assunto que aflige a quase todos que pertencem a essa faixa etária, a busca por adentrar ao mercado de trabalho deve ser enfrentada com paciência

Segundo pesquisa recente divulgada pela agência B2, especializada no público alvo do estudo, 70% dos jovens disseram que não se sentem preparados para o mercado de trabalho, e muito disso acontece porque, segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, os jovens de hoje – diferentemente dos seus pais, os jovens das décadas de 60 e 70, por exemplo, - tem apoio dos pais por mais tempo.

“A geração de jovens dos anos 60 e 70 viam o ingresso ao mercado de trabalho como uma oportunidade realizar os desejos pessoais que não eram supridos pelos seus pais, mas isso foi mudando com o passar de gerações,” explica Madalena. Hoje, os jovens saem mais tarde de casa e dificilmente ficam em um mesmo emprego por mais de um ano.

Hoje as famílias dão mais suporte aos jovens, e, muito por causa disso, os pais desejam que os filhos tenham, de qualquer jeito, um diploma de faculdade. “Porém, um problema comum que acontece quando esse jovem decide entrar no mercado de trabalho, é que ele fica esperando pelo emprego ideal. Ele acredita que por ter cursado uma faculdade é merecedor do emprego dos sonhos: e não é assim que funciona. Eles precisam entrar no jogo do mercado”, explica a especialista.


Ingressando no Mercado

Ingressar no mercado de trabalho pela primeira vez é difícil, sim, mas existem inúmeras chances e oportunidades. E é preciso paciência: as coisas no mundo real não acontecem na mesma velocidade da internet. “Porém, ter calma e paciência não significa que é para o jovem ficar acomodado: ele deve aproveitar o tempo para identificar o que deseja fazer da sua vida profissional,” diz. Muitos jovens largam seus cursos pela metade porque não fizeram uma boa escolha. Se essa é a sua situação, o ideal é fazer um planejamento da sua carreira profissional e pedir aos seus pais um pouco mais de paciência – que eles não lhe exijam a carreira que você deve seguir.

É preciso entender que há demanda de trabalho em praticamente todas as áreas, e, para o jovem se dar bem no mercado, ele precisa aproveitar as oportunidades e não desperdiçar as chances que aparecerem pelo seu caminho – afinal, ele ainda não tem muito a perder, e, se daquela vez não deu certo, quem sabe dessa vez funcione.


Fonte: Portal Administradores
22/04/2014

Os 10 erros mais comuns de linguagem corporal em apresentações

Confira como prender a atenção da plateia e o que não fazer para distraí-la

"Gesticule quando isso fizer algum sentido e quando ajudar a complementar
 a mensagem, caso contrário será apenas um obstáculo à sua comunicação"
Muitos estudos na área da linguagem corporal mostram que, do ponto de vista da audiência, o fator de maior impacto é a comunicação não verbal do apresentador. A linguagem corporal compõe até 55% da influência do apresentador sobre a audiência.

Sendo assim, a SOAP – empresa especializada em apresentações corporativas – compartilhou 10 erros comuns de linguagem corporal em apresentações que identificou ao longo de seus 11 anos no mercado.

Aqui estão as informações necessárias para melhorar seu desempenho junto à audiência:


1. Cruzar as pernas ou os braços

Quando você cruza os braços, pode enviar uma mensagem subliminar de que não está aberto aos presentes e se sente ameaçado. Para a audiência estar na defensiva. E isso é exatamente o oposto do que você quer. Aos homens: cruzar as pernas ao sentar também não é um bom sinal. Pode ser interpretado como nervosismo e falta de profissionalismo – de novo, percepções que não quer.

Quando você está apresentando, facilite a comunicação. Ela deve ser acessível. Você deve transparecer confiança ao transmitir sua mensagem. Mantenha as costas eretas, sua cabeça alta, o peitoral e braços abertos.


2. Virar as costas para a audiência

Evite dar as costas para a audiência. Isso pode dar a sensação de que não se importa, pode soar rude. As pessoas precisam ver seu rosto, seus olhos, sua boca para se conectar com você. Então, se planeja atrair a atenção para algo na tela, apenas fique ao lado dela e aponte. Um laser point pode te ajudar.


3. Evitar contato visual

Tendemos a fugir do contato visual inconscientemente, evitando o confronto. Mas o apresentador precisa estar seguro e confiante. Uma maneira de demostrar isso é olhar as pessoas nos olhos. Ao olhá-las nos olhos, elas vão dedicar mais atenção a você e à sua mensagem, o que aumentam as chances deles aderirem à sua proposta de mudança.


4. Encarar um só ponto na audiência

Encarar um ponto isolado na audiência nunca é uma boa ideia. As pessoas vão notar que você, na verdade, não está olhando para ninguém. Além disso, faz você parecer inseguro, assim como olhar para o teto. Em vez disso, tente olhar, pausadamente, para cada pessoa, ora de uma lado da plateia, ora de outro, na frentee atrás. Seu público vai sentir-se conectado a você, como em uma conversa – e, mais importante: vai se concentrar em você.


5. Ficar na mesma posição durante toda a apresentação

Se, ao apresentar, você fica no mesmo lugar por receio de tropeçar ou cair, uma dica: use sapatos confortáveis. O cérebro precisa de movimento para permanecer alerta. E se mover no espaço ao seu redor é uma forma poderosa de manter a audiência em alerta e atenta ao conteúdo. Então não deixe de usar essa ferramenta poderosa por medo ou receio.


6. Andar muito rápido e muito longe

Apesar de aconselharmos andar pelo espaço à sua volta, não convém abusar. Se você estiver constantemente em movimento, ou andando muito rápido, a audiência pode deduzir que está nervoso e, certamente, ficará nervosa também. Esse não é o objetivo.

Você deve se mover sempre que a mensagem pedir movimentação. Se você está falando com alguém da audiência, por exemplo, mova-se para um ponto mais próximo a essa pessoa. Se estiver apresentando uma lista de três pontos, use a movimentação para ilustrar a mudança do ponto 1 para o 2 e daí em diante.


7. Repetir gestos demasiadamente

Já viu apresentadores que repetem os mesmos gestos, independentemente da mensagem? Faz sentido? Os gestos devem servir para enfatizar e ilustrar as mensagens, não como muletas para quando não souber o que fazer com mãos.

Gesticule quando isso fizer algum sentido e quando ajudar a complementar a mensagem, caso contrário será apenas um obstáculo à sua comunicação. Tente variar o gestual o máximo possível, mas de maneira natural.


8. Inquietação

Inquietação significa nervosismo e nervosismo é distração total. A audiência acaba focando na sua inquietação, não na sua mensagem.

Mantenha o foco exclusivamente naquele situação. Mantenha-se atento ao seu corpo e ao modo como se comunica. A melhor maneira de criar essa ampla consciência é ensaiar bastante a apresentação, de preferência com uma audiência. Dica: filme você mesmo. Esse vídeo vai dizer quanta inquietação você tem sob condições reais.


9. Esquecer de sorrir

Se você não sorri, a audiência provavelmente o verá como alguém sério demais. Disso pode gerar um constrangimento no instante em que abrir espaço para perguntas ou mesmo precise interagir. Sorrir é a maneira ideal para fazer a audiência se sentir confortável e disposta a ouvir.


10. Falar muito rápido, muito devagar ou muito baixo

Se você fala muito rápido, as pessoas tem dificuldade de acompanhar. Se fala muito devagar ou muito baixo... bem, provavelmente vão cair no sono. De qualquer maneira, a mensagem é comprometida e seus objetivos ficam mais distantes.

A voz do apresentador é uma de suas ferramentas mais poderosas, mas ele deve saber usá-la. Ache o volume e tom corretos, enfatize palavras e expressões importantes e articule cada sílaba. Se fizer isso, a audiência ai entender naturalmente o que você está dizendo.

Para baixar o e-book contendo todas as dicas, acesse o site da SOAP.


Fonte: Portal Administradores
22/04/2014

terça-feira, 15 de abril de 2014

Administrador gaúcho recebe primeira Certificação Profissional do CFA

Programa de certificação para administradores foi implantado pelo CFA em novembro de 2013

O Conselho Federal de Administração (CFA) entregou a primeira Certificação Profissional em Recursos Humanos ao Adm. Ricardo Antonio Gallina, em cerimônia realizada no dia 7 de abril, na sede do CRA-RS, em Porto Alegre.

Para o presidente do CFA, Adm. Sebastião Luiz de Mello a certificação servirá para uma autoavaliação profissional. "Poderíamos ter partido para um método que já é utilizado por outras profissões, os exames de proficiência, mas queríamos que o Administrador pudesse avaliar, voluntariamente, aquilo que aprendeu", explicou Mello. "O dia 07 de abril de 2014 tornou-se um marco no calendário oficial do Sistema CFA/CRAs".

O Administrador Ricardo Gallina recebeu o certificado das mãos do presidente do CFA e da presidente do CRA-RS. “Sinto-me honrado. Eu sempre sentia falta de algo que pudesse fortalecer a nossa profissão”, destacou.

Gallina possui especialização em Gestão de Pessoas, pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), é mestre em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e atua como gerente de Recursos Humanos da empresa Sementes Roos, localizada no município de Não-Me-Toque, no Rio Grande do Sul.


Certificação

O programa de certificação para administradores foi implantado pelo CFA em novembro de 2013. A medida vinha sendo estudada há anos. A proposta ganhou força após os resultados da pesquisa Perfil do Administrador, onde a maioria dos profissionais registrados sugeriu uma espécie de exame de ordem obrigatório para administradores.

A Certificação é opcional. Por ora, a avaliação é realizada apenas para a área de Recursos Humanos. Podem solicitar a Certificação os administradores e tecnólogos com Registro Profissional e cinco anos de experiência na área de RH.

“A adesão voluntária significa relevante evidência do grau de profissionalismo do mercado e contribuirá acentuadamente para o fortalecimento da imagem e credibilidade da profissão perante a sociedade em geral”, ressalta o presidente do Conselho Regional de Administração de São Paulo (CRA-SP), Adm. Walter Sigollo.


Fonte: Portal Administradores
15/04/2014

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Fiasco do Brasil vai muito além das obras da Copa, diz NYT

Jornal norte-americano destaca imensos projetos iniciados quando a economia brasileira crescia a altas taxas, e que agora estão abandonados, como a Transnordestina

Ponte em obra inacabada da ferrovia Transnordestina: por
meio de vídeo e fotos, NYT ilustra desolação em torno da obra
São Paulo – O Brasil corre para tentar estar pronto a tempo para receber a Copa do Mundo, em junho. Com todos os atrasos, mortes causadas em acidentes na construção de estádios e custos que extrapolam os valores previstos, o jornal The New York Times também destaca com pessimismo que as prometidas melhorias no transporte público só ficarão prontas bem depois que os jogos já tiverem terminado.

No entanto, a reportagem especial publicada no último sábado pelo jornal americano vai além dos já tão conhecidos problemas da Copa e aponta que as obras do mundial estão longe de serem os únicos elefantes brancos que comprovam o “fiasco” brasileiro no gasto de dinheiro público em infraestrutura.

Fotos desoladoras de construções inacabadas por todo o país ilustram a matéria, que cita como exemplo projetos milionários desenhados pelo arquiteto Oscar Niemeyer que, depois de prontos, estão agora abandonados em cidades como Natal e Brasília.

Usinas de energia eólica e até mesmo um museu de ufologia, construído com verbas públicas na cidade de Varginha (MG), também aparecem como exemplo deste fenômeno peculiar, que faz emergir as ruínas antes mesmo que o momento áureo possa acontecer.

“Os projetos para a Copa são apenas uma parte de um problema nacional bem maior, que está lançando uma cortina de fumaça nas grandes ambições do país: uma série de projetos luxuosos concebidos quando a economia estava em crescimento, encontram-se agora abandonados, estagnados ou descontroladamente acima do orçamento”, diz o jornal.

“Os empreendimentos pretendiam ajudar a impulsionar a ascensão aparentemente inexorável do Brasil. Mas agora que o país passa por uma ressaca pós-boom, eles estão expondo os líderes da nação à crítica fulminante, alimentando questionamentos sobre gastos desnecessários e incompetência, enquanto os serviços básicos para a população permanecem terríveis”, afirma outro trecho.


Transnordestina

O maior destaque da reportagem - retratado inclusive através de um vídeo complementar - é o faraônico projeto da Transnordestina, ferrovia que começou a ser criada em 2006 com o objetivo de escoar a produção de soja do interior do Nordeste para os portos do país.

O NYT aponta que o projeto, que inicialmente custaria US$ 1,8 bilhão e deveria ter sido entregue em 2010, tem agora orçamento estimado em pelo menos US$ 3,2 bilhões, sendo a maior parte do valor financiado por bancos públicos.

Ao visitar uma comunidade situada em Paulistana, no Piauí, a reportagem constata que as pontes inacabadas, ligadas por precárias estradas de terra, afetaram negativamente no modo de vida da população local.

Famílias foram retiradas de suas casas, e estas demolidas, e o aterramento necessário para as obras iniciais deixou o solo seco, acabando com o antigo local fértil de onde os moradores retiravam alimentos.

A conclusão do jornal é que houve “baixa compensação, comparada com as perdas sofridas por essa comunidade, fruto de uma obra que não trouxe retornos”.


Fonte: EXAME.com
14/04/2014